SAIBA COMO INSTALAR VENTILADOR DE TETO EM 6 PASSOS

Confira o passo a passo e saiba como instalar ventilador de teto sem precisar de um especialista!

 

Econômicos, os ventiladores de teto são uma boa pedida nos dias mais quentes. Além de produzirem menos barulho que alguns equipamentos convencionais, eles dispersam melhor o ar pelos ambientes e ainda dispõem de outras funcionalidades — como o exaustor, por exemplo.

Com tantas vantagens, é crescente o número de pessoas que buscam o equipamento para as suas residências. Por outro lado, também são muitos os que tentam instalar o ventilador de teto sem o auxílio de um profissional. Afinal, não há tanto mistério no processo de instalação.

Para que tudo ocorra sem problemas, no entanto, é necessário ter atenção e cuidado com alguns detalhes que fazem toda a diferença. Por isso, preparamos este post para te ensinar como instalar ventilador de teto! Acompanhe:

 

Materiais necessários para a instalação

A primeira coisa que você precisa fazer é conferir se tem todos os objetos necessários para realizar a instalação do seu ventilador de teto. Aqui, uma dica antiga que nunca falha é: tenha sempre à mão um bloco de notas e vá checando os itens à medida que for conferindo. Vamos começar?

Antes de tudo, tire o seu ventilador da embalagem, pegue os fios (garanta uma quantidade suficiente para a instalação e para reservas) e lâmpadas. Também tenha em mãos:

– trena;
– furadeira;
– chave de fenda;
– alicate universal;
– chave Philips;
– chave teste;
– escada
– fita isolante;
– passa fios;
– parafuso;
– buchas.

 

Alguns cuidados essenciais

Para evitar acidentes, é crucial lembrar de desligar a energia geral na caixa de força antes do início da instalação do equipamento. Em seguida, você deve identificar três fios: terra, neutro e fase. Geralmente, o fio verde é o terra, mas é sempre recomendável fazer um teste com a lâmpada, para garantir.

O teto onde o ventilador será instalado precisa ser capaz de suportar, no mínimo, 25 kg e ter uma altura igual ou superior a 2,3 m. Também, deve-se manter sempre uma distância segura entre o ventilador e acessórios como lustres, móveis e a parede.

Você não pode segurar o ventilador apenas pelos fios, pois, assim, corre o risco de derrubá-lo, além de causar danos aos fios. Para isso, busque usar as peças dispostas no kit de instalação que acompanham o equipamento. Confira também se as pás do ventilador estão bem presas à peça principal, ou seja, à carcaça.

Por fim, o ventilador é instalado junto à fiação fixa. Assim, quando há ligações bifásicas, é necessário usar o disjuntor bipolar para efetivar o desligamento do ventilador.

 

A preparação da fiação

Serão necessários cinco fios para ligar o ventilador à chave de energia: dois para o motor, dois para a lâmpada e um para o fio terra. Se um desses fios não for instalado, você deverá utilizar um fio extra da parede até o teto. Nesse caso, use o passa fios para lhe ajudar.

Dica: para evitar problemas, procure checar a situação da sua fiação antes de iniciar todo o processo de instalação.

A montagem do ventilador

Enfim, é hora de colocar a mão na massa! Utilize sempre o manual do fabricante como apoio para instalar o ventilador. Se o seu equipamento tiver lâmpadas ou lustres, deixe para colocá-los no final de todo o processo. E não se esqueça de fazer tudo com a chave desligada.

Vejamos o passo a passo:

 

1. Passando os fios

Pegue os fios das lâmpadas e passe-os dentro do niple (pequeno cano auxiliar de inox). Os fios do ventilador e do lustre são passados por dentro da haste, saindo para fora da base.

 

2. Encaixando a haste

Coloque a haste no motor, fixando-a. Deixe a abertura maior virada para os fios. Em seguida, prenda o pino de fixação. Passe os dois fios (soquete e motor) por dentro da haste e, na sequência, coloque o pino de segurança na haste.

 

3. Fixando o suporte no teto

Com as buchas e os parafusos, faça furos no teto e coloque o suporte. Prenda o ventilador nele e cheque se existe alguma folga. O equipamento não deve ficar totalmente preso — é necessário permitir o movimento para quando ele estiver em uso.

Como forma de segurança, é recomendável fixar o ventilador na laje, porém, caso o teto seja de madeira ou gesso, é possível colocar um suporte auxiliar para segurar o aparelho por dentro da laje. Você encontra as peças necessárias (canaleta de alumínio auxiliar e suporte de aço) em qualquer loja de construção.

 

4. Ligando os fios do teto

Primeiro, conecte os fios fase do lustre e do motor ao fio fase da rede. Em seguida, conecte o retorno da lâmpada ao retorno da chave controle. Para concluir, ligue o fio exaustão ao fio de ventilação do motor ao capacitor. Encape tudo utilizando a fita isolante.

 

5. Ligando os fios na chave de controle

Troque o interruptor pela chave de controle que acompanha o ventilador. Depois, conecte o fio da chave de controle no retorno da lâmpada. Conecte os dois fios da chave aos fios do motor, e o fio de alimentação à energia. Lembre-se de isolar o outro fio. Finalize, então, encapando as ligações com fita isolante.

 

6. Finalizando

Ao final, coloque as lâmpadas e o lustre. Utilize a trena para medir a distância das pás no teto: se uma delas não estiver nivelada, movimente-a junto à base do motor até que ela se ajuste às demais. Cheque, então, se os parafusos estão firmes e apertados.

Depois de tudo isso, se o equipamento não funcionar por qualquer motivo, desligue-o no interruptor e entre em contato com um profissional especializado. Você também pode contatar a assistência técnica responsável pelo produto, mas, em alguns casos, você perde o direito de garantia pelo não funcionamento quando não pode comprovar que o dano não foi causado por sua conta.

Lembre-se de checar sempre a potência da lâmpada nas orientações dispostas no manual de orientação do fabricante do ventilador de teto. Cada modelo pede uma voltagem e, se você utilizar a potência errada, pode acabar causando problemas no equipamento, como o derretimento de lustres ou peças de plástico.

Enfim, viu como instalar ventilador de teto é possível? Basta tomar alguns cuidados para garantir a segurança — sua e do seu aparelho. E agora, com as nossas dicas, ficou bem mais fácil!

Gostou das dicas? Tem dúvidas? Gostaria de contratar um profissional especializado? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Triider

PASSOS PARA EVITAR VAZAMENTOS DE ÁGUA

Prevenção e método de detecção eletrônica resolvem o problema, o que garante uma economia na conta. Confira algumas dicas básicas

 

Para evitar multas e acréscimo no valor da fatura, um ponto de atenção, tão importante quanto o uso racional da água, é a detecção de vazamentos. Mesmo os de pequena proporção podem encarecer a conta de consumo.

 

Feche todas as torneiras, interrompendo o uso da descarga e de todos os aparelhos ou equipamentos que usam água

 

Desperdício

Especialistas destacam que até os pequenos vazamentos são vilões da conta de água, podendo causar grandes perdas físicas. Fazer a manutenção em torneiras, válvulas, bóias de caixas e registros pode representar até 25 % de economia no consumo de água.

De acordo com a Sabesp, uma torneira pingando desperdiça quase 1,5 mil litros de água mensalmente. Já o problema em uma válvula de descarga do sanitário pode acarretar em uma perda de até 4,3 mil litros de água em um mês, enquanto que um filete de apenas 4 mm em um encanamento representa uma perda mensal de 13.260 litros.

 

Caçando vazamentos

Muitos vazamentos em canos e torneiras residenciais podem ser facilmente encontrados. Para isso, especialistas recomendam a adoção de técnicas simples e um pouco de paciência para observação.

 

Leia o relógio (hidrômetro). Sem fechar os registros, anote o número marcado no visor do hidrômetro, esperar uma hora e refazer a leitura. Caso o ponteiro tenha andado e o número no visor sofrido alteração é sinal de vazamento na casa

 

Para caçar vazamentos em casa, siga os seis passos seguintes para evitar desperdícios, diminuir o preço da conta e economizar até com serviços de um profissional. Confira:

1- Feche todas as torneiras, interrompendo o uso da descarga e de todos os aparelhos ou equipamentos que usam água.

2- Leia o relógio (hidrômetro). Sem fechar os registros, anote o número marcado no visor do hidrômetro, esperar uma hora e refazer a leitura. Caso o ponteiro tenha andado e o número no visor sofrido alteração é sinal de vazamento na casa.

3- Nos canos alimentados por caixas d’água, marque o nível da água da caixa e verificar, depois de uma hora se houve alterações. Caso o nível tenha baixado, é sinal de que há vazamentos na tubulação ou sanitários.

4- Nos vasos sanitários com caixa acoplada, retire a tampa da caixa e pingar algumas gotas de corante. Após alguns minutos, observe se o vaso ficou colorido.

 

Nos vasos sanitários com caixa acoplada, retire a tampa da caixa e pingar algumas gotas de corante. Após alguns minutos, observe se o vaso ficou colorido

 

5- Nos jardins, note se há áreas com terra mais fofa e úmida ou plantas mais crescidas em uma área do que em outras. Isso pode indicar vazamento.

6- Faça um teste acústico. Dê batidas com a mão fechada na extensão do encanamento que percorre a parede e fique atento para sons diferentes. Vazamentos desse tipo também deixam sinais aparentes nas paredes, como relevos (bolhas) e manchas na pintura.

 

Gostou das dicas? Tem dúvidas? Gostaria de contratar um profissional especializado para realizar a manutenção? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Revista Qual Imovel

COMO TROCAR O CHUVEIRO? DICAS PARA VOCÊ FAZER SOZINHO E COM SEGURANÇA

 

Como trocar o chuveiro? Quando o chuveiro queima, ninguém merece passar os dias a banho frio, né? Por isso, o post de hoje vai ajudar você a se virar nessa situação chata sem precisar gastar dinheiro com eletricista ou encanador.

 

Não pense que trocar o chuveiro é uma tarefa tão trabalhosa. Com jeitinho é possível fazer no seu tempo e ainda economizar com a mão de obra. Mas fique atento: a tarefa exige algumas precauções para não correr o risco de levar choques elétricos.

 

Veja abaixo o que é necessário, dicas de segurança e o passo-a-passo de como trocar o chuveiro e deixar o seu novinho em folha!

 

1. Escolha o chuveiro certo

A primeira coisa a se fazer é saber qual a voltagem da casa. A partir daí, escolha o modelo de chuveiro que mais se adequá ao tamanho do seu box e às suas necessidades. A hora do banho é um dos momentos mais agradáveis do dia e merece uma atenção especial. Por isso, não leve somente em consideração o preço dos chuveiros e sim a vazão de água, a pressão, o gasto de energia e a qualidade do material. Muitas vezes vale a pena investir um pouquinho a mais para ter aquele conforto merecido.

Existem muitos modelos disponíveis no mercado: a gás, elétrico e com energia solar, por exemplo. Basta escolher o seu.

 

2. Desligue a energia

Comprado o novo chuveiro, é preciso retirar o antigo. Antes de qualquer movimento, é imprescindível desligar a energia elétrica alternando o disjuntor do banheiro. Em instalações mais modernas, é possível encontrar uma pequena tomada ao lado do chuveiro e, neste caso, é ela quem deve ser desligada.

Se houver energia correndo pelos fios enquanto troca o aparelho, o choque será certo.

 

3. Desligue o registro

A água também deverá ser cortada para fazer esta manutenção. Procure o registro do imóvel e feche-o.

 

4. Materiais necessários

Pouca coisa: chave de fenda, fita veda-rosca e fita isolante.

 

5. Retirando o chuveiro velho

Primeiro, retire todas as fitas isolantes do aparelho antigo. Depois, com a chave de fenda, desconecte todas as ligações elétricas de cabos e fios. São três fios: dois para a rede elétrica e um fio terra que, obrigatoriamente, é na cor verde.

Feito isso, desrosqueie o chuveiro antigo da parede com delicadeza e com as duas mãos para evitar que o cano se quebre ou que o aparelho caia no chão.

 

6. Vede o cano

Agora, utilize a fita veda-rosca para isolar o cano que sai da parede. Por segurança, passe umas oito voltas da fita no sentido horário. Esse procedimento é fundamental para que não haja vazamentos.

 

7. Instale o novo chuveiro

Com a chave de fenda, parafuse os novos fios no conector e certifique-se de que estão bem apertados. Do contrário, o fio esquenta com a resistência, derrete e desliga o disjuntor. Ou seja, você pode estar tomando banho e a energia toda da casa cai de repente. Ninguém quer que isso aconteça, não é?

 

8. Use a fita isolante

Vede todas as conexões com a fita isolante. Ela evitará possíveis choques.

 

9. Finalize com a mangueirinha

O último passo da instalação do chuveiro é a mangueirinha, que deverá ser afixada no local conforme o manual de instruções da marca do chuveiro.

 

10. Certifique-se de que está tudo certo

Lembre-se de que antes de ligar a chave geral é importante abrir o registro e deixar a água correr por alguns minutos. Esse procedimento evita que a nova resistência queime, e possibilita identificar possíveis vazamentos por conta da má vedação.

Se tudo estiver correndo bem, desligue o chuveiro e religue a chave da energia elétrica.

 

Dicas básicas de segurança

Agora que você já sabe como trocar o chuveiro, é importante ver algumas dicas: sempre que for trabalhar com qualquer tipo de instalação elétrica, certifique-se de que não há nenhuma área molhada por perto ou que não esteja com o corpo molhado. Nem pense em trocar o chuveiro durante o banho! Nunca troque o chuveiro descalço, esteja sempre com sandálias ou sapatos com solado de borracha.

Se tiver inseguro sobre como trocar o chuveiro, contrate um profissional de confiança.

 

Gostou das dicas? Tem dúvidas? Gostaria de contratar um profissional especializado? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Bidu

Ferramentas do eletricista, quais adquirir?

 

Na lista de ferramentas para eletricista, qual não pode faltar? Você alguma vez já se fez esta pergunta? Seja você um eletricista montador, eletricista predial ou outro, neste artigo vamos falar qual é o kit de ferramentas ideal e mostrar como o uso das ferramentas corretas é muito importante para desempenhar um bom trabalho. Vamos lá pessoal!

Para trabalhar com eletricidade é necessário contar com diversas ferramentas! É importante conhecer a utilização destes equipamentos para não investir em algo que quase não irá usar ou pior ainda, deixar de comprar uma ferramenta que será muito útil diariamente. Na sequência deste artigo, vamos mostrar quais as principais ferramentas que o eletricista deve ter.

Ferramentas para eletricista: Como escolher?

A lista que vamos apresentar inclui ferramentas quase que obrigatórias e algumas de uso mais específico, mas que é de grande serventia para o eletricista. Analise bem a sua área de atuação e o tipo de serviço que costuma realizar, certamente vai perceber que algumas ferramentas são muito mais importantes que outras, observe bem quais são as prioridades.

Ferramenta eletricista: Chave de fenda

Esta talvez seja a ferramenta mais utilizada pelo eletricista e pode ser encontrada quase que em todas as residências. Seja eletricista ou não, a maioria das pessoas possui uma chave de fenda exatamente pela grande utilidade dela. Para os profissionais que trabalham com instalações elétricas, é muito importante ter pelo menos duas chaves de fenda, uma pequena que servirá para os pequenos parafusos que são utilizados para prender fios em terminais de interruptores e tomadas por exemplo, e uma grande que será usada em parafusos maiores que atuam na fixação dos interruptores por exemplo.

Ferramenta eletricista: Chave Philips

Além das chaves de fenda, é indispensável contar com uma chave Philips, visto que muitos dispositivos elétricos como os disjuntores e vários aparelhos eletrodomésticos possuem componentes presos com parafusos Philips. Muitos profissionais utilizam a chave de fenda nestes parafusos e por mais que possa funcionar no primeiro momento, a utilização de uma chave inadequada irá danificar o parafuso e comprometer a sua eficiência.

 

Ferramenta eletricista: Furadeira

As furadeiras elétricas são ferramentas de extrema importância para o eletricista. Neste aspecto, além da furadeira de qualidade, você precisará de um bom jogo de brocas para metal e para cimento. Existem no mercado vários modelos e tipos de furadeira, na imagem abaixo está a furadeira S8010 fabricada pela Starrett que é um ótimo equipamento. Na hora de comprar a furadeira, observe bem as especiações de cada modelo e não compre pensando apenas no menor preço, já que isso pode se tornar caro no futuro.

 

Furadeira S8010 da Starrett

 

 

Ferramenta eletricista: Alicate de corte lateral

Essa ferramenta é muito útil para cortar os fios e ter um alicate pequeno com cabo isolado é indispensável para os trabalhos com eletricidade. Sendo assim, ter em mãos um alicate de corte pode te ajudar em várias outras tarefas relacionadas com as instalações elétricas.

 

Ferramenta eletricista: Alicate de ponta fina

Este equipamento pode ser útil quando você precisar dobrar ou puxar pontas de fios por exemplo. Também são ótimos para quando o eletricista precisar segurar partes de algum componente em uma determinada posição.

 

Ferramenta eletricista: Alicate desencapador de fios

Esta dica se assemelha com a da utilização da chave Philips, vários eletricistas usam outros tipos de alicates para descascar os cabos e isso não é correto. A ferramenta especifica para desencapar os fios é de fácil utilização e além de garantir um resultado eficaz, evita danos nos cabos que podem causar problemas graves futuros.

 

Ferramenta eletricista: Lima

O uso de uma lima pode ser de grande serventia em diversos trabalhos como por exemplo, remover a oxidação em uma peça de metal ou acertar uma superfície para utilidades diversas. O indicado é que o eletricista disponha de uma pequena e uma grande. Na imagem abaixo você pode ver uma lima da linha da Starrett, estas limas são materiais de ótima qualidade e que certamente irá atender as suas necessidades.

 

Conheça a lima para eletricista da Starrett

 

Ferramenta eletricista: Sonda

A sonda que também é conhecida como arame de passar fios, é um equipamento indispensável no kit de ferramentas do eletricista. A sonda é composta por um arame de aço que foi fabricado para percorrer facilmente dentro dos eletrodutos, ela é usada para passar os fios que serão usados em uma instalação elétrica.

 

Ferramenta eletricista: Multímetro

Outro equipamento indispensável para o bom eletricista é o multímetro. As diversas utilidades e o seu preço relativamente baixo justificam o investimento! Para você ter ideia da importância desta ferramenta, ela serve para testar praticamente todos os aparelhos que funcionam com eletricidade, além é claro da instalação em si.

 

Ferramenta eletricista: Arco de serra

O arco de serra também é importante para os trabalhos de corte e preparação de certas partes metálicas. Atualmente no mercado existe também o mini arco de serra como este da imagem abaixo, eles são fabricados pela Starrett e desempenham diversas funções que o arco de serra comum não consegue como cortes em profundidade por exemplo. Portanto, o ideal é que o eletricista tenha no kit tanto o arco de serra comum, quanto o mini arco de serra.

 

Conheça o mini arco de serra da Starrett

 

Ferramenta eletricista: Fita isolante

É impossível imaginar um eletricista que não tenha um rolo de fita isolante em sua caixa de ferramenta não é mesmo? Exatamente, esse equipamento não pode faltar em hipótese alguma no dia a dia do eletricista. Existem vários tipos e cores e a sua utilização pode variar, então pesquise bem qual é o tipo mais adequado para a atividade que irá realizar.

Além das ferramentas citadas, o eletricista pode contar com várias peças que são comuns nos trabalhos. Dentre elas podemos citar tomadas, interruptores, lâmpadas, fusíveis e etc. Quanto mais equipamentos você tiver, menores serão os imprevistos e maior será o seu campo de atuação.

Gostou das nossas dicas? Não deixe de assinar a nossa newsletter para receber outras dicas!

 

Fonte: Mundo da Elétrica