Ar Condicionado Portátil é Bom?

Saiba tudo sobre ar condicionado portátil: para quem é indicado, prós e contras. Ar condicionado portátil é bom ou ruim? Funciona mesmo? Saiba tudo lendo este artigo!

 

Quem deve comprar

Não posso mexer na estrutura da casa/apartamento

Instalar um ar condicionado split – ou mesmo um janela – precisa furar paredes. E pessoas que vivem em casas ou apartamentos alugados muitas vezes não podem mexer no imóvel porque o contrato as impede. Alguns condomínios impedem os moradores de instalar um aparelho do lado de fora do apartamento, o que elimina a possibilidade de instalar um ar condicionado split ou de parede. Se você é uma destas pessoas, não há muito o que fazer: você deve comprar ar condicionado portátil.

Fazer uma reforma dá trabalho

Instalar um ar condicionado split é fazer uma pequena reforma em casa, e isso dá trabalho. Escolher uma empresa de confiança, estudar orçamentos, supervisionar o trabalho, tudo isso leva tempo. Sem falar no preço que não é barato e na sujeira que uma reforma pede. Se você ficou cansado só de ler este parágrafo, um ar condicionado portátil é bom provavelmente será um boa compra para você.

Moro de aluguel e não quero gastar no imóvel

Normalmente quem vivem de aluguel não quer fazer grandes gastos de instalação – que um aparelho split ou de parede pede – porque não sabem quanto tempo viverão no local onde estão. Nesse caso se encaixam jovens universitários vivendo em apartamentos alugados, trabalhadores temporários ou quem tem intenções de se mudar logo.

Vivo em uma casa pequena

Modelos portáteis são adequados para ambientes até 20m². Você encontra no mercado ar condicionado portátil 12000 BTUs, 9000 BTUs e 7000 BTUs. Assim, se estiver pensando em um ambiente maior, ou compra dois aparelhos portáteis ou melhor partir para o split ou janela.

Se encaixou em algumas delas? Se sim, continue a leitura. Agora, vou te mostrar os prós e contras de se ter um ar condicionado portátil.

Vantagens

Não precisa fazer reformas de instalação

Este é o maior motivo pelo qual as pessoas optam pelo modelo portátil. Todo mundo torce o nariz quando percebe que para ter um split terá bastante trabalho na hora de instalar, sem contar o valor alto que se cobra pela instalação. Fora isso, ainda tem a questão da voltagem. A grande maioria das marcas no mercado são 220V, e se você mora numa cidade com voltagem 110V, provavelmente vai precisar mexer na parte elétrica da casa. Assim, um ar condicionado portátil acaba sendo prático e barato.

Poder levar para onde quiser

Ar condicionado portátil é bom porque ele não está fixo numa parede, confinado a um só cômodo. Você pode levá-lo para onde estiver na sua casa, na sala, no quarto, no escritório. Você pode levá-lo para qualquer lugar e, se seu carro tiver um porta-malas grande, você pode até transportá-lo para sua viagem na casa de praia.

Desvantagens

Antes de você tirar a conclusão de que ar condicionado portátil é bom mesmo, leia agora as desvantagens:

1. Precisa de uma janela perto

Você deve estar se perguntado a razão de precisar de uma janela por perto. Parece até aquelas pessoas que gostam de viajar sentados na janelinha. É mais ou menos isso e vou te explicar.

Para produzir ar gelado, todo ar condicionado – incluindo o portátil – precisa também eliminar ar quente. A ideia básica é jogar o ar frio para dentro do cômodo e o ar quente para fora da casa. A forma como isso será feito é o que diferencia os diferentes tipos de ar condicionado.

Por exemplo, o ar condicionado split possui dois aparelhos: a unidade interna (evaporadora) fica no cômodo produzindo o ar gelado e a unidade externa (condensadora) fica do lado de fora da casa eliminando o ar quente. As duas são ligadas através de um tubo.

No caso do ar condicionado de janela, as duas partes estão juntas numa peça só, mas como ele fica fixo na janela, o lado virado para dentro da sala solta o ar frio e o que está para o lado de fora solta o ar quente.

Finalmente, a versão portátil também é um aparelho só, mas neste o ar quente é eliminado através de um tubo cuja saída deve ser levada até a janela mais próxima. Ai surgem alguns problemas:

É feio – Para quem pensa no elegante split quando falam em ar condicionado, fica desanimado ao ver o portátil com aquele duto de 14cm de diâmetro saindo do aparelho, passando pela sala e saindo na janela.

O duto de exaustão é curto – Os dutos são sanfonados e medem em média até 2 metros, ou seja, o aparelho portátil precisa estar necessariamente até 2 metros da janela. Assim, se tiver um móvel perto da janela atrapalhando o duto, de duas, uma: ou você reorganiza os móveis de lugar, ou você passa calor, até porque o ar condicionado portátil é grande o bastante para ser considerado um móvel por si só. Algumas pessoas improvisam uma “extensão” para o duto aumentando seu comprimento para chegar mais longe mas não é aconselhável pois isso irá exigir mais força do aparelho podendo até danificá-lo.

Nem todo cômodo tem uma janela – Se o local onde você quer esfriar não tem uma janela por perto ou não tem uma janela, o jeito é colocar o tubo para fora da porta virado para o cômodo ao lado. O problema vai ser se neste outro cômodo estiver alguém….

A janela deve ser estilo francesa (corre de lado) – Para adaptar o duto na janela, as empresas criaram um suporte chamado de régua preso à janela, isolando o ar de fora com o de dentro. Mas esse sistema só funciona com janelas de correr. Assim, se o cômodo tiver uma janela basculante, você até consegue eliminar o ar quente para fora, mas como a janela ficará aberta, a versão portátil não será tão eficiente pois vai ter ar de fora entrando no cômodo.

2. Elimina água

Na verdade, todo ar condicionado seja ele split, janela ou portátil elimina água. Faz parte do processo de resfriar o ar. Assim, quem pretende comprar um, uma hora ou outra terá de lidar com o problema. Geralmente o portátil possui um reservatório com capacidade de até 20 litros e deverá ser trocado de 3 em 3 dias dependendo da umidade do local. Se a troca não é feita e o recipiente se enche de água, o sistema desliga automaticamente. Os mais modernos como este possui um sistema que dispensa essa a troca de água. No entanto, ainda existem modelos sem este reservatório. A saída é ligar uma mangueira até o ralo mais próximo ou, se não tiver um, ligar a um balde e lembrar de esvaziá-lo quando estiver cheio. Por isso, fique atento a este detalhe quando for comprar.

3. Baixo rendimento

As empresas não confirmam, mas todos dizem sobre o baixo rendimento comparado com o split e o parede, mesmo que tenham o mesmo potência em BTUs. Isso acontece por duas razões:

Vedação da janela mal feita – Normalmente a vedação da janela por onde o duto elimina o ar quente não é bem feita, deixando o ar quente de fora entrar no cômodo, diminuindo sua eficiência.

Calor gerado pelo próprío ar condicionado  – Todo eletrodoméstico ligado gera calor no ambiente e isso exige ainda mais do ar condicionado, incluindo este último. O problema é, diferentemente do split e do janela, toda a energia consumida pelo ar condicionado portátil está dentro do cômodo, gerando 30% mais calor a ser resfriado, tornando sua eficiência ainda menor. Veja a tabela abaixo comparando a potência necessária para esfriar um quarto de 20m² de um modelo portátil e um janela:

Assim, se for comprar um aparelho portátil, adquira um com potência em BTUs pelo menos 30% mais alta que a necessária.

4. São pesados

Verdade, você até pode levar o modelo portátil para qualquer lugar, mas não se esqueça de que ele é literalmente um trambolho. Resumindo: grande e pesado. Um desses de 12.000 BTUs pode pesar em média de 30 a 40 kg. Imagina você carregando ele para todo lado? A grande maioria possui rodinhas, facilitando o transporte mas se tiver que subir escadas, vai precisar de uma mão pra ajudar. Não, melhor pedir duas. Já está começando a se perguntar se ar condicionado portátil funciona para você?

5. São barulhentos

Sim, são bem barulhentos em comparação com os outros. No modelo split, o barulho é produzido pela unidade instalada do lado de fora da casa. No ar condicionado de janela, a parte barulhenta fica do lado de fora da janela. No ar condicionado portátil, o aparelho inteiro está dentro do cômodo então não tem para onde fugir, ele vai ser mais barulhento, emitindo em torno de 35 a 60 decibéis. Isso equivale ao barulho de uma conversa entre duas pessoas. Durante o dia não há problema mas alguns não aguentarão seu som durante a noite.

 

Conclusão

Ar condicionado portátil é bom para aqueles que:

– Não querem gastar a mais com instalação ou não querem passar pelo trabalho de uma
– Preferem a praticidade de poder levar para onde quiser, como por exemplo pessoas morando em imóveis alugados
– Não se importam com um pouco de barulho
– Irão usá-lo em um cômodo pequeno, até 20m²

Gostou das nossas dicas? Não deixe de assinar a nossa newsletter para receber outras dicas!

Fonte: Temperatura Certa

Manutenção de jardim: 5 dicas para manter suas plantas lindas

 

Manter plantas e flores bonitas, seja em jarros ou plantadas diretamente no solo, exige que constantemente se faça manutenção do jardim. Por ser uma necessidade contínua, pequenos cuidados frequentes vão exigir menos de você do que resolver todos os problemas de uma vez.

Adiar os cuidados com seu jardim pode lhe causar, além de muito trabalho para recuperar o paisagismo do local, um prejuízo financeiro. A falta de cuidados, não só atrapalha o visual, mas também pode atingir o solo e fazer mal às plantas, das raízes às flores.

Portanto, se o seu objetivo é manter sempre um jardim bonito, saudável e ainda evitando altos custos, o melhor a se fazer é dar atenção aos cuidados frequentes.

Veja agora cinco dicas para manter um jardim saudável e atraente:

Fique atento às podas

Podar as plantas é essencial para um crescimento saudável. Como há uma grande variação sobre esse processo para cada planta, o ideal é uma orientação profissional sobre a melhor frequência e forma de podar as plantas que você tem em casa.

Vale ressaltar que as podas também podem ocorrer por questão estética, para dar determinado formato à planta, por exemplo.

Relacionado à saúde da planta, é importante retirar folhas e flores murchas, que podem desenvolver fungos e bactérias, bem como para evitar pragas e doenças que podem prejudicar a planta como um todo.

Aparar galhos e tirar as folhas secas também estimulará a planta para brotar, crescer e se ramificar. Mas lembre-se: quando for aparar as plantas, corte o galho sempre na diagonal.

Adubação frequente mantém o jardim saudável

A adubação é necessária para que as plantas cresçam saudáveis e fortes. Isso porque o solo fornece vitaminas e minerais essenciais ao seu desenvolvimento. Porém, assim como a poda, é preciso ter cuidado e não dá para generalizar. Espécies variadas exigem solos variados para crescerem bem.

Por exemplo, o solo granulado associado à areia e compostos orgânicos é indicado para a maioria das plantas. Porém, espécies ornamentais, como a agave, samambaia e a babosa precisam de fertilizante NPK (nitrogênio, fósforo e potássio) 10-10-10.

Esses substratos são essenciais para o desenvolvimento das plantas. Além do 10-10-10, existem ainda o 4-14-8, ideal para plantas frutíferas e com flores; 15-15-20, recomendada para hortas; e o 25-25-25, indicado para cultivos em hidroponia.

Relocar plantas para vasos maiores

Raízes na superfície ou saindo por baixo do vaso, vaso plástico estufado e começando a ficar deformado, poucas flores e folhas muito pequenas ou defeituosas são alguns sinais de que sua planta precisa de um novo vaso.

É importante que, antes de retirar a planta do vaso atual, regue-a poucos dias antes. O solo umedecido facilitará o replante.

Um bom período para fazer a mudança de vasos é a primavera, quando as plantas passam por um período de menor atividade de crescimento.

Confira um breve passo a passo para esse replante:

Regar: como dito anteriormente, o solo molhado facilitará a remoção da planta do vaso atual;

Remover a planta: segure o caule delicadamente e retire a planta. Se tiver dificuldade, incline o vaso e bata para ajudar a soltar a terra. Se não conseguir, use uma faca entre o solo e o vaso. Em último caso, quebre o vaso;

Reduza o solo em volta: na mudança, retire aproximadamente 1/3 da terra ao redor das raízes;

Adicione terra nova ao vaso: no novo vaso, acrescente terra nova no fundo, lembrando que o vaso deve ter um diâmetro, pelo menos, 2,5 cm maior que o anterior;

Terra nova ao redor da planta: já no novo vaso, preencha os arredores com terra nova e pressione com os dedos para retirar bolsas de ar que podem se formar próximo às raízes. Depois bata levemente o vaso;

Regue novamente: adicionar água até que ela comece a escorrer pelo vaso vai garantir que o novo ambiente está preparado para o bom desenvolvimento da sua planta.

Remova ervas daninhas

A limpeza para remoção de ervas daninhas deve ser feita o quanto antes para que se tenha menos trabalho e para que haja menos prejuízo ao jardim.

Quanto mais cedo se interfere, mais superficiais são as raízes e, com isso, mais fácil sua remoção. Na medida em que vão crescendo, suas raízes vão se firmando e, no momento da retirada, pode prejudicar visualmente o jardim deixando um buraco no solo.

Pra evitar essas ervas daninhas, existem herbicidas à venda no mercado, mas outras alternativas são menos agressivas à natureza.

Uma opção é colocar folhas de jornal molhadas sobrepostas ao redor da planta. Antes, limpe todo o local (vaso, quintal, canteiro, etc) retirando as ervas daninhas. Depois, coloque aproximadamente 10 camadas para a medida ser efetiva. O papel é biodegradável, deixa a água atravessar ao mesmo tempo impede que as ervas daninhas o atravessem.

Fique de olho nas pragas

Para manter um espaço bonito com plantas igualmente vistosas, fazer a manutenção de jardim é um passo essencial. Muitas vezes manter a adubação em dia já evita esses seres incômodos às plantas.

Mas não é só isso: excesso ou falta de água, lixo acumulado, sol ou vento inadequado podem atrair formigas, cochonilhas, pulgões dentre outras pragas. Separamos algumas dicas focadas em alguns desses pequenos bichos:

Pulgões
Podem ter cores variadas, como preto, marrom, cinza ou verde. Sua presença deixa as folhas amareladas e enrugadas, já que sugam a seiva da planta e, em grande quantidade, podem provocar doenças perigosas. Para evitar, uma alternativa natural são as joaninhas, sua predadora natural, mas a mistura de água e álcool em partes iguais passada na planta ajuda a retirar os pulgões. Faça esse método semanalmente.

Cochonilhas
Insetos muito pequenos, geralmente são marrons ou amarelos. Costumam ficar nas partes inferiores das folhas e nas fendas. Sua presença pode ser notada quando as folhas apresentam uma crosta cuja consistência se assemelha a uma cera. As joaninhas também são suas predadoras naturais, além de algumas vespas, mas a calda de fumo e emulsão de óleo, como o mineral, são métodos naturais e eficientes para combater essa praga.

Lagartas
Costumam ficar enroladas nas folhagens novas e se alimentam de brotos, hastes e folhas novas que desenvolvem uma espécie de “teia” que ajuda a protegê-la. Algumas espécies podem queimar a pele de quem as toca. Para combater as lagartas, a calda de angico ajuda a afastá-las e não é prejudicial às plantas. Em caso de lagartas pontuais, sem um ataque massivo, seu controle deve ser manual, mas lembre-se de usar luvas, já que algumas podem provocar queimaduras.

Ácaros
Seu tipo mais comum é o ácaro vermelho, que se assemelha a uma aranha.Provoca marcas similares à ferrugem e seu ataque diminui o ritmo de crescimento da planta, além de favorecer a má formação dos brotos. Se houver uma grande infestação, pode matar a planta. Como são muito pequenos, quase invisíveis a olho nu, sua presença é identificada por uma fina teia na planta. Para combater, é ideal borrifar a planta com água regularmente, já que eles não gostam de umidade. Em casos avançados é preciso tirar parte da planta, mas o uso de calda de fumo ajuda a controlar o ataque dessa praga.

Formigas
As mais prejudiciais são as cortadeiras, que retiram pedaços das folhas. Um bom método para evitá-las e sem agredir a planta é distribuir sementes de gergelim ao redor do canteiro ou dos vasos. Se colocadas em cima do formigueiro, as sementes de gergelim ajudam a eliminar o ninho. Caso haja um ataque maciço das formigas, use formicidas.

Agora vamos ao trabalho!

Você já conferiu aqui algumas dicas sobre manutenção do jardim. E aí, está pronto para dar uma geral nas suas plantas e deixar seu espaço mais bonito?

Se você ainda tiver alguma dúvida, ou prefere que um profissional faça o trabalho, entre em contato conosco!

 

Fonte: Flora Nativa

Escolha e Instalação de Porcelanatos: [Guia completo]

 

No post de hoje, falaremos sobre a escolha e instalação de porcelanatos. Embora possa parecer simples, veremos o passo a passo desse processo, onde serão apontados alguns detalhes importantes que fazem toda a diferença no acabamento final.

 

Entendendo o que é o porcelanato

O Porcelanato nada mais é que uma cerâmica de alta densidade. Ela é composta a partir da combinação de quartzos, argilas e outros materiais. Esses materiais são aquecidos a altas temperaturas de até 1.300 °C e submetidos a um processo de compactação, modelagem e secagem.

 

 

Ao final deste processo de compactação e modelagem, chega-se ao resultado de um material mais homogêneo e denso. Com aproximadamente 15 mm de espessura, altamente resistente ao desgaste de trafego de pessoas. Além de uma superfície menos porosa com baixo índice de absorção de água.

Deste modo, o porcelanato apresenta grandes vantagens se comparado às cerâmicas convencionais.

 

 

Características do porcelanato

O porcelanato tem uma resistência três vezes maior que às cerâmicas comuns, por sua densidade e resistência à riscos e desgastes, em geral. Dessa forma, apresentando uma vida útil mais prolongada.

A escolha pelo porcelanato dá-se principalmente pela baixa absorção de água, por ser menos poroso, sua praticidade na hora da limpeza e sua durabilidade.

Por conter essas características de resistência, durabilidade e praticidade, ao adquirirmos esse revestimento, prolongamos o tempo de realizar manutenções ou reformas.

Se algum dia tiver a oportunidade, repare no chão que você pisa. Se a cerâmica apresentar manchas de uma peça para outra, com certeza estará diante de uma cerâmica de baixa qualidade. Que contribui com uma possível infiltração no vizinho de baixo. Essas manchas mostram que a cerâmica utilizada está absorvendo a água.

Agora que já sabemos a composição do porcelanato e algumas das vantagens sobre às cerâmicas convencionais, devemos analisar o tipo de acabamento do porcelanato e a indicação para cada ambiente.

 

As 3 principais opções de porcelanato

 

PORCELANATO POLIDO

São as cerâmicas que recebem polimento, produzindo superfícies extremamente lisas e proporcionando um alto brilho para o revestimento.

A escolha desse tipo de porcelanato faz toda a diferença no acabamento de sua residência. São extremamente práticos na hora da limpeza, onde uma passada de pano é mais que suficiente para a higienização. É indicado para áreas íntimas ou áreas secas, como salas e dormitórios. Os mais comuns são os mais claros ou os que imitam mármore.

 

 

PORCELANATO ACETINADO

Sua superfície possui um brilho leve e discreto. Em seu acabamento possui uma textura suave e sedosa, muito confortável para todos os pisos das áreas molhadas (banheiro, cozinha e lavanderia) e áreas secas (salas e dormitórios). Também é muito prático na hora de limpar e sua leve porosidade garante segurança de quedas e de escorregamentos. Ultimamente os mais utilizados são os pisos com acabamentos cimentícios, chamados de pisos de cimento queimado.

 

 

PORCELANATOS EXTERNOS

São cerâmicas com alta porosidade, capazes de gerar grande aderência em ambientes externos, que estão sujeitas às intempéries da natureza. Possuem um aspecto rústico em sua superfície, minimizando os riscos de acidente. Existem modelos amadeirados, que imitam folhas de madeira. É indicado para pisos de quintais e garagens.

 

 

Qual tamanho escolher?

É de suma importância a contratação de um arquiteto para a realização de um bom projeto. Pois, baseado em seus conhecimentos, ele irá orientar as escolhas de forma adequada. Fundamentado em seus conhecimentos técnicos e nas necessidades do cliente, determinando assim o sucesso do resultado final.

Na criação do Layout e da planta de piso, será identificado as vantagens e desvantagens da escolha do tamanho do porcelanato. Após essa análise, será estabelecido a melhor alternativa que melhor se adéqua ao projeto, contemplando questões estéticas, como paginação e recortes do piso, como as especificações técnicas de densidade, resistência e durabilidade.

Por exemplo, de acordo com uma paginação proposta, o projeto indica a quantidade de recortes necessárias próximo as portas, esquadrias e paredes de divisão. A melhor recomendação é aumentar ou diminuir o tamanho do piso, para que esses recortes se ajustem melhor a esses obstáculos. Os tamanhos mais utilizados são os de 60x60cm e 90x90cm.

Veja na imagem a seguir um exemplo de duas paginações. Note que nesse exemplo, a melhor opção é o de 60x60cm, pois o número de recortes é menor e não será preciso moldar tanto a peça, evitando quebras e perdas desnecessárias.

 

 

Processo de instalação do porcelanato

É importantíssimo essa fase de planejamento, pois irá influenciar no resultado final da obra. Um piso ruim e desnivelado influencia no acabamento do ambiente, e em alguns casos, deixa com um aspecto feio e inadequado o encontro do piso com o revestimento utilizado na parede.

A seguir mostraremos o passo a passo do processo de averiguação da qualidade do contra piso que receberá o porcelanato.

Dica: Consulte e contrate um arquiteto para que ele os acompanhe na vistoria da entrega das chaves do imóvel. Além de ser habilitado para projetar e reformar, este profissional é altamente qualificado para reconhecer defeitos e imperfeições deixados pela construtora, ou antigo proprietário, no qual passam despercebidos ou são omitidos. Com um check list, trena, esquadro e um nível a laser, ele irá direcionar essa verificação, evitando futuramente reparos desnecessários na reforma. Assim, você iniciará o processo da obra com um bom planejamento.

 

Passo 1: Nivelamento do contra piso

Seja com uma mangueira ou nível a laser, o ideal é descobrir nessa fase as imperfeições do contra piso. O arquiteto consegue prever um nivelamento de contra piso, caso a diferença seja grande de um canto para outro no mesmo ambiente. Se as imperfeições forem mínimas, é possível obter o nivelamento do piso, trabalhando com a espessura da argamassa utilizada para instalação do porcelanato.

 

 

Passo 2: Impermeabilização das áreas molhadas

Áreas molhadas são todos os ambientes que recebem uma grande incidência de água, como os banheiros, cozinha e lavanderia.

Esses ambientes necessitam de impermeabilização no contra piso. O impermeabilizante é a segurança e garantia de que um piso bem instalado e rejuntado, com uma aplicação correta, não sofrerá infiltrações nem irá danificar o forro do vizinho debaixo.

As marcas mais conhecidas e utilizadas são: Viapol, Quarzolit, Bautech e Sika.
Todas essas marcas trabalham com impermeabilizantes com bi componentes (pó e líquido) onde você mistura os dois componentes e tem o produto final para aplicar.

A maioria das marcas trabalha com as linhas 1000, indicadas para áreas molhadas de ambientes internos, a linha 5000, especificada para caixa d’ água de alvenaria externa, e também a linha 7000, indicadas para cisternas e piscinas. Utilizaremos a linha 1000, que é mais que suficiente para impermeabilizar a cozinha, lavanderia e banheiros.

O processo de aplicação de impermeabilizante líquido dura aproximadamente 2 dias, onde se aplica de 3 a 4 demãos do produto, de acordo com a especificação de cada fornecedor.

A primeira aplicação deve ser feita em um único sentido. É importante respeitar o tempo de cura e secagem do produto, especificado na embalagem. Geralmente o intervalo é de 3 a 4 horas, em cada demão.

Na segunda demão aplicaremos o impermeabilizante no sentido contrário ao da primeira, e assim sucessivamente. A ideia é criar uma malha de proteção nesse contra piso.

 

 

No banheiro o processo deve ser o mesmo. É necessário proteger o piso e as paredes, considerando o fato de que o chuveiro joga uma grande quantidade de água nas paredes, ou apenas os respingos de água. Portanto, é comum aplicar o impermeabilizante nas paredes a uma altura de aproximadamente 1,20m, e por precaução aplicar no nicho do box, que será revestido com granito ou o próprio porcelanato.

 

Passo 3: Escolha e aplicação de argamassa para porcelanatos

São esses os 3 tipos de composição de argamassas disponíveis no mercado: Argamassa AC1, AC2 e AC3. A argamassa AC1 é recomendada para cerâmicas comuns. Pois, elas trabalham com a colagem mecânica, ou seja, a grande porosidade do piso permite a absorção de elementos como cimento. Que produz a liga entre a massa e os poros da cerâmica, grudando-o no piso.

A escolha ideal para a instalação do porcelanato é a argamassa AC2 e AC3. Pois, em sua composição há vários tipos de polímeros, que trabalham e reagem perfeitamente com a superfície de colagem do porcelanato. Esse processo de colagem acontece através de reações químicas. Onde os polímeros existentes nessa massa, criam a liga necessária entre o porcelanato e o piso.

 

 

Aplique argamassa com uma desempenadeira dentada, em sentido único. Ela produzirá frisos de respiro, que são responsáveis por não deixar que bolhas de ar permaneçam entre o porcelanato e a massa. Dessa foma, evitando que ele fique oco em alguns pontos.

 

 

Passo 4: Saída do piso

O ideal é que a primeira peça seja instalada, no canto do ambiente, geralmente atrás das portas. Assim os recortes ficarão todos para o canto oposto, pois, recortes desses cantos quase não aparecem.

Se pensarmos em um dormitório como exemplo, a cama, cabeceira, criados mudos e armários, certamente esconderão esses recortes. Assim o que fica visível é a peça inteira, deixando o ambiente mais bonito.

 

 

Passo 5: Espaçamento de piso

Existem vários tipos de espaçadores para pisos e revestimentos, e eles variam em formato, espessura e função.

Dica: É importante seguir as recomendações de espaçamento do porcelanato. Essas informações estão indicadas na caixa do revestimento. E por que é tão importante respeitar essa indicação? Porque, o fabricante está garantindo que seu piso não terá problemas.

Embora não seja perceptível, toda estrutura sofre pequenas dilatações. Sob a influência da variação de temperatura, ocorrem movimentos, sendo necessários pequenos espaços para que não ocorra danos causados pela força de compressão, e nem fissuras e rachaduras pela contração do piso.

O espaçamento mínimo mais indicado é o de 2mm, siga essa indicação e não terá nenhum problema

Espaçadores em cruz ou “x” são os mais comuns e mais utilizados. Atualmente existem no mercado um outro modelo, que além de separar ele ajuda a nivelar o piso pela superfície, travando um ao outro.

 

 

Passo 6: Rejunte

Antes de começar a aplicação, o porcelanato deve estar totalmente limpo e sem qualquer tipo de poeira. Isso porque o rejunte possui uma porcentagem de umidade e adere facilmente qualquer tipo de sujeira.

O rejunte tem o objetivo inicial de evitar fissuras e infiltrações. Existem vários tipos de rejunte, sendo os mais utilizados:

Rejunte flexível: material bi componente, que depende da adição de água para se ter a liga composta. Ele tem acabamento áspero e não possui a propriedade de proteger contra mofo;
Rejunte acrílico: massa já preparada para aplicação, possui acabamento liso e tem a capacidade de proteger contra mofo;
Rejunte epóxi: material bi componente, depende da adição de catalisador para se ter a liga composta, também tem o acabamento liso e tem a capacidade de proteger contra mofo.

O mais indicado para porcelanato em áreas secas, como sala e dormitórios, é o rejunte flexível. Já o rejunte acrílico é mais indicado para porcelanatos em áreas molhadas como cozinha, lavanderia e banheiros.

Ambos têm o mesmo período de secagem, entre 2 e 3 horas a secagem parcial, e 24 horas para a secagem definitiva.

 

 

Após a secagem parcial, é possível iniciar a limpeza de excesso do rejunte. O mais recomendável é utilizar um bloco de espuma úmida para limpar a superfície onde o rejunte foi aplicado.

 

 

Após essa primeira limpeza, utilizar pano úmido para limpeza final.

 

Dica: Fique de olho se o pedreiro também calafeta com rejunte os espaços deixados entre o porcelanato e a parede. Embora a função de proteger esse espaço seja do rodapé, não custa nada ter um cuidado maior e proteger esses espaços também.

 

Pronto para fazer a escolha e instalação de porcelanatos?

Agora que você já sabe o passo a passo para a melhor forma de escolha e instalação de porcelanatos, de acordo com cada ambiente, é só colocar em prática tudo o que ensinamos nesse post.

Se ainda tiver dúvidas, estamos à disposição para esclarecer dúvidas. Ou até mesmo fazer esse serviço para você. Consulte-nos!

Gostou das nossas dicas? Não deixe de assinar a nossa newsletter para receber outras dicas sobre seu próprio negócio!

 

Fonte: Studiotec